Alex Anderson

Alex Anderson

  • PASTOR AUXILIAR
  • alex.a.cacau@gmail.com

Seja Leal ao Seu Líder e Não Murmurador

 

Efésios 6: 11 “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo.”

 

A palavra “ciladas” vem da palavra grega: “methodeias”. Ela fala dos diferentes meios, planos, e estratégias usados pelo diabo contra a Igreja de Cristo.

 

A estratégia do inimigo é um plano bem sistemático e elaborado com uma finalidade de ludibriar a igreja e leva-la a plena destruição. A estratégia diabólica não é uma ação isolada, mas um conjunto de ações progressivas que tem por objetivo um resultado calculado.

 

A maior parte dos Cristãos acredita que a melhor arma do diabo é a feitiçaria, macumba, ocultismo, vodu, etc… Essas são realmente algumas armas, mas a Igreja precisa entender que a mais forte campanha de Satanás contra a igreja está na área do engano. Ele tem enganado a muitos e dentro das igrejas tem feito que muitas pessoas acreditem que estão combatendo um homem de Deus em nome da justiça e da verdade.

 

Há muitas pessoas que pensam estar numa “guerra santa” para desmascarar falsos pregadores, ministros e falsos líderes. Tal como foi Saulo, elas pensam que têm um mandado divino para, revelar a todos a verdade sobre os hipócritas. O apóstolo Paulo ficou muito surpreso quando descobriu que na verdade estava lutando contra Cristo. Essas pessoas usadas pelo inimigo costumam se levantar contra as autoridades constituídas por Deus na igreja e ainda se acham encobidas de uma missão dada por Deus para fazer tal levante.

 

É comum encontrarmos pessoas dentro das igrejas reclamando da liderança e de tudo. Parece que nunca estão satisfeitas com nada e se acham no direito de criticar a tudo. Essas pessoas são enganadas e persuadidas, pelo Satanás, para acreditar que possuem a razão em tudo. Criticam a liderança da igreja. Criticam a ausência dos pastores em alguns trabalhos da igreja (não sabendo eles que uma das características de um verdadeiro líder é aquele que confia nos seus liderados e no trabalho desenvolvido por eles justamente na sua ausência). Criticam a forma do culto, o horário do culto. Criticam a mensagem pregada. Criticam os trabalhos da igreja. Criticam a aulas da escola bíblica. Criticam o som da igreja, o banco, ou a cadeira, enfim… Em tudo essas pessoas estarão procurando algo para reclamar e apontar erros que na maioria nunca existiram.

 

Todo murmurador nunca reconhece um bom trabalho, pois sempre se considerará o mais apto para realizar o trabalho.

 

Percebe-se também que a reclamação (crítica destrutiva) muitas vezes não é dirigida para Deus, mas para outros membros da igreja, e possui a finalidade de contaminar todo o rebanho. Esses murmuradores são as pessoas que mais dão trabalho para a liderança da igreja. São aqueles que passa o ano, e muda o ano e permanecem na mesma condição espiritual e financeira nunca prosperam.

 

Os murmuradores críticos precisam saber que o problema não está e nunca esteve na igreja ou na liderança, mas sim neles mesmos. Eles podem até mudar de igreja, mas nunca encontrarão uma igreja na qual irão se encaixar. O Senhor Jesus explicou, na parábola em Mateus 13: 24-30, que o joio pode até estar junto com o trigo e se parecer com o trigo, mas nunca será colhido como trigo.

 

Jesus é organizado e organizou Sua igreja constituindo líderes (pastores) na frente de seu imenso rebanho. Como diz em Romanos 13: 1-2Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação.” O murmurador precisa entender que ele não foi constituído líder. A igreja local possui um líder (pastor) constituído por Deus para conduzir o rebanho. Murmurador, contente-se o que você é e com aquilo que possui!

 

O murmurador é aquele que pratica a dissenção (significado: opinião diversa ou divergência de opiniões). Veja o que o texto bíblico relata sobre dissenções em Gálatas 5: 19-21 – “Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia, a idolatria, a feitiçaria, as inimizades, as contendas, os ciúmes, as iras, as facções, as dissensões, os partidos, as invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus.”

 

Existe outro grupo de cristão, que além de serem murmuradores, realizam a prática da facção dentro da igreja, e as vezes inconscientemente. Por exemplo, dizem que preferem vir ao culto só quando o Pastor Sicrano está pregando e não gostam de vir ao culto quando o Pastor Beltrano está pregando. Essa prática se chama: facção. A Igreja de Corinto estava praticando essas obras carnais. Leia o que o Apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 3: 1-9.

 

Os críticos e murmuradores alegam que vivem num País democrático e não em ditadura, por isso se acham no direito de opinar em qualquer assunto, mas precisam entender que:

1º ) A Luz da Bíblia… A Igreja não foi criada nos moldes da democracia, mas sim nos moldes da Teocracia. Não é a opinião de homens que dirige a Igreja, mas sim a Vontade Soberana de Deus!

2 º) Os homens de Deus não seguem opinião humana para dirigir a Igreja de Deus, mas sim a direção do Espirito Santo! Podemos dar até sugestões para aprimorar o que já é feito, mas a palavra final vem dos Céus… Deus é o dono da obra! Ele é o chefe!

3º) Deus respeita hierarquia… Se Deus quer mudar algo na Igreja… Ele vai falar com o responsável pela Igreja e não com você murmurador! Você pode ser até profeta, professor, ministro de louvor, músico, obreiro, pode orar, jejuar e buscar a Deus, enfim…, quando Deus quer mudar algo na condução dos trabalhos da Igreja vai falar com o Líder: o Pastor Presidente.

 

Foi assim desde o Antigo Testamento. Deus falava com o líder Moisés e não com o Sumo Sacerdote Arão, quando queria orientar o povo. O nosso Deus não mudou, pois Ele é imutável. Existem pessoas que acreditam que Deus mudou já no Novo Testamento… A forma de aplicação da Palavra (interpretação da Lei) pode até ter mudado, mas não Deus! Por exemplo, no Novo Testamento (no livro de Apocalipse) quando Deus quer dar uma orientação a todos ele manda uma carta ao Anjo da Igreja, ou seja, ao responsável pela igreja referente a cidade destino da carta. Vemos esse exemplo se materializando nas sete cartas dirigidas as sete igrejas do Apocalipse.

 

O Murmurador para Deus é considerado um rebelde. O pecado de rebeldia é comparado ao pecado de feitiçaria e o resultado é a morte espiritual. Em 1 Samuel 15: 23a, diz: Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria,…” e em Êxodo 22: 18, diz: A feiticeira não deixarás viver. Na época de Moisés, Deus condenou essa prática e deu a sentença de morte. Atualmente a morte não é por apedrejamento, conforme naquela época, mas sim espiritual. Isso implica que a pessoa está totalmente descoberta da proteção divina e se torna uma presa fácil e frágil nas garras de Satanás.

 

Em Números 16: 1-3, percebe-se o exemplo, de Corá, Datã e Abirão, que influenciaram 250 dos príncipes da congregação das tribos de Israel (homens de renome e com funções importantes) a se levantarem contra o seu Líder Moisés alegando que eram também “santos” e que não reconheciam a autoridade dada por Deus à Moisés. O resultado foi que no dia seguinte os 250 principais do povo foram consumidos instantaneamente pelo fogo de Deus em frente o tabernáculo de Deus. Já Corá, Datã, Abirão e grande parte de suas famílias foram mortos em um grande tremor que abriu a terra e engoliu a todos vivos na frente de todo o povo de Israel.

 

Logo depois de alguns dias após a sentença de Deus sobre os de Corá e os 250 príncipes, o povo de Israel (ainda contaminado com a rebeldia) voltaram a murmurar de Deus e do seu Líder Moisés. Por causa disso Deus enviou uma praga a toda congregação, matando 14.700 pessoas. Sentença de Deus escrita em Números 16: 49Ora, os que morreram daquela praga foram catorze mil e setecentos, fora os que morreram por causa de Corá. 

 

Um dos sintomas apresentados no rebelde, dentre muitos outros, é tentar desfazer a estrutura de ordem e autoridade na igreja. Ele dirá coisas como: Somos todos iguais! Todos fomos chamados! Somos todos ungidos! Não vamos permitir sermos enganados por qualquer um! E por fim acaba agindo da mesma forma que Corá, no Antigo Testamento, influenciando outros a tomarem o mesmo caminho de rebeldia.

 

Deus não mudou e continua abominando a prática da murmuração, crítica destrutiva e rebeldia. Vigiemos, pois Jesus está voltando para buscar uma igreja santa, lavada e remida por Seu sangue.

 

Em Filipenses 2: 13-15, diz: porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. Fazei tudo sem murmurações nem contendas, para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo.”

 

Que a Graça e a Paz de Deus que excede todo entendimento esteja com você e sua família!

Pr Alex Anderson

 

QUALIFICATION:

Vice Presidente da Igreja Assembleia de Deus Ministério Terra Fértil - ADMTF

  • Pastor Registrado na Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil - CGADB
  • Pastor Filiado a Convenção dos Ministros das Assembleias de Deus do Planalto Central - COMADEPLAN-DF
  • Bacharel em Sistemas da Informação - UNIEURO
  • Pós Graduado em Gestão de TI - Universidade de Belo Horizonte
  • Cursando Pós Graduação em Teologia - Universidade Presbiteriana Mackenzie